• cabecalho-ppgrgv-uefs

Notícias

14/08/2019 15:08

Nikolái Vavílov: o botânico soviético que queria alimentar o mundo e morreu de fome em Gulag de Stalin

Nikolái Vavílov foi perdoado em 1955, mas nunca soube disso.

Quinze anos antes, enquanto colecionava sementes nos campos ucranianos, foi detido pela polícia secreta soviética sem maiores explicações.

Um dos biólogos mais admirados do mundo e um dos principais pioneiros no campo da criação de plantas e genética, Vavílov desapareceu e não deixou vestígios.

Ninguém sabia que ele havia sido preso sob acusações de espionagem, sabotagem e destruição, nem que havia sido condenado à morte em um julgamento secreto em 1941, uma pena que foi convertida para 20 anos em um gulag, os campos de trabalhos forçados soviéticos.

Documentos publicados posteriormente mostraram que, antes do julgamento fraudulento, a polícia, em busca de uma confissão, o submeteu a 1,7 mil horas de interrogatórios brutais durante 400 sessões, segundo o especialista em taxonomia vegetal, Geoffrey Hall.

Nem sua mulher nem seu filho nem seus colegas foram informados de que, enquanto a URSS estava lutando contra os nazistas, as condições no gulag se deterioraram a tal ponto que, depois de tentar sobreviver comendo repolho congelado e farinha mofada, Vavílov morreu de fome em 26 de janeiro de 1943.


Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.