Planejamento Estratégico

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RECURSOS GENÉTICOS VEGETAIS


Este planejamento estratégico constitui-se em uma ferramenta de gestão do PPGRGV, que será importante para fomentar a qualificação do corpo docente, a qualidade  da  capacitação  discente  e  da  produção científica,  além  da inserção social do Programa.

Algumas ações de curto prazo já estão em andamento e ações de médio e  longo  prazo  serão implementadas  conforme  o  plano  de  ação proposto.

O plano representa o compromisso dos membros do Programa com o crescimento e consolidação do PPGRGV-UEFS  e deverá ser reavaliado anualmente.

O documento que você pode acessar no link abaixo foi elaborado em articulação com o planejamento estratégico institucional e o planejamento estratégico da Pós-Graduação da UEFS e aprovado em Reunião Ampliada com docentes  e  discentes  do PPGRGV.

ACESSE O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO PPGRGV

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL - PDI - DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA - 2017-2021


Planejar uma universidade é uma tarefa extremamente complexa e desafiadora. Em primeiro lugar, porque esta é um ente autopoeiético, ou seja, em certo sentido ela tem uma vida própria, suas próprias forças de crescimento e evolução, exatamente por ser o locus da liberdade de cátedra, de pensamento e da conformação de estruturas difusas de poder e de ação acadêmica e política.

Em segundo lugar, a universidade não está descolada do cenário externo, o qual enseja as pressões do tempo histórico vivido por ela. Nesse cenário, precisamos observar as ameaças e oportunidades, bem como as forças e fraquezas que dão mais ou menos condições de enfrentamento ao cenário posto.

Por tudo isso, há que se planejar os rumos da universidade, tentando criar um norte para sua governança e avanços contínuos que a qualifiquem cada vez mais para dar respostas à altura dos desafios do nosso tempo.Após décadas de construção de um projeto nacional de ensino superior público de qualidade, uma conquista social decorrente do processo de redemocratização e de garantia de direitos, o tempo atual é marcado por um ataque à universidade pública.

Está em curso um movimento mundial de questionamento da universidade pública, e gratuita, como um direito, em detrimento de um ideário de mercantilização do ensino superior. Por trás do argumento de ajustar as contas públicas diante de crises fiscais, diversos países aplicam medidas de austeridade que reduzem o financiamento da universidade pública, com graves consequência sobre a qualidade do ensino, a realização de pesquisas e a devolução à sociedade dos conhecimentos produzidos. No Brasil, e na Bahia, o quadro não é diferente.

É nesse cenário que a Universidade Estadual de Feira de Santana apresenta o seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI).

Fruto do debate democrático, aberto a toda a comunidade universitária através da realização de oficinas temáticas, o PDI busca traçar as diretrizes para a expansão da graduação, ainda que condicionada ao cenário externo, bem como para a manutenção da qualidade dos cursos existentes, através de processos não só administrativos, mas também pedagógicos.

Trata das perspectivas para a pesquisa e a pós-graduação, aponta as ações e caminhos para uma extensão que conecte a universidade com a sociedade, se debruça sobre as ações afirmativas, a diversidade e a permanência e sucesso acadêmico do seu corpo discente, cada vez mais diverso e representativo das oportunidades desiguais que predominam na nossa sociedade.

Traz pela primeira vez a internacionalização universitária como tema de destaque, com a clareza de que internacionalizar não perpassa apenas pelo intercâmbio de estudantes, mas pela sedução da pesquisa e da pós-graduação para a inserção no processo.

Trata ainda da gestão de pessoas, sem as quais não se conduz a vida universitária, e aponta diretrizes para a gestão e financiamento da instituição.Pelos cinco anos a que corresponde este PDI, a comunidade universitária e a Administração Superior e Adstrita terão a tarefa de seguir lutando pelas condições que permitirão a implementação das ações pensadas coletivamente.

Disso dependerá o futuro da Universidade Estadual de Feira de Santana, construída como uma universidade que articule o ensino, a pesquisa e a extensão, que produza conhecimento de alta relevância, que mantenha motivados os atores da produção de conhecimento e que contribua para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico, social e cultural de Feira de Santana e da Bahia.



AÇÕES ESTRATÉGICAS PARA O PLANO DE DESENVOLVIMENTO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UEFS - 2020-2021

 
O  conjunto  de Ações  estratégicas  para o  Plano  de  desenvolvimento  dos Programas   de Pós-graduação   da   UEFS - 2020/2021   elencadas   neste   documento, objetiva orientar  as  Coordenações  e  Colegiados  no  desenvolvimento  do  Planejamento estratégico para o ano de 2021.

Para  sua  elaboração  foram  levadas  em  consideração  as  metas  previstas  nos itens “Oportunidades  de  Melhoria  Pesquisa,  Pós-Graduação e Inovação”do  Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) para o período de 2017-2021(PDI - UEFS p.38-40), a partir de novas leituras sobre a autoavaliação e atualização de metas 2021.

Pensar  uma  agenda  de planejamento  estratégico  e autoavaliação  para  a  pós-graduação   brasileira,   em   particular   em   nossa   universidade,   significa   favorecer   o processo de diversidade e heterogeneidade do olhar de cada programa Strictu Sensu para além  da  avaliação  externa,  portanto avaliar  o  processo  de  produção  do  conhecimento por dentro levando a formação discente, assegurando uma relação de proximidade entre avaliadores e   avaliados e   permitindo   aprofundamentos   de   natureza   qualitativa   e contextualizada.

A  UEFS,  no  atual  momento,  operacionaliza  seu  processo  de planejamento estratégico   e autoavaliação  capilarizado  e  compreendido,  como  um  “organizador qualificado” (CAPES, 2019, p.7), tendo a força indutora de transformações de Pesquisa, Pós-Graduação   e   Inovação   em   seus   principais   desafios   de   se   constituir uma universidade  auto  referenciada  na  realização  de  pesquisas e  inovação em  âmbito  local, regional, nacional e internacional.

O exercício de autonomia responsável de coordenadores de Programas de Pós-Graduação da UEFS expressa ainda o foco principal a formação discente pós-graduada na perspectiva da inserção social e/ou científica/tecnológica/profissional cumprindo sua missão  e  delineando  seu  planejamento  estratégico  com  objetivos  de  curto  e  médio prazos.Atualmente  a Pós-Graduação Stricto  Sensu da  Universidade  Estadual  de  Feira de Santana sob a gestão da Pro reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (PPPG) possui 27 cursos,  sendo seis (06) Doutorados, catorze  (14) Mestrados  Acadêmicos, cinco (05) Mestrados Profissionais e quatro (04) mestrados em Rede Nacional.


Recomendar esta página via e-mail: